Um ciclista solitário prepara-se fora do seu carro no parque de estacionamento do teleférico de Kronplatz. O sol esconde-se por trás das montanhas envolventes, mas apenas para se levantar alto o suficiente para aquecer o frio desta manhã de outono. Com uma precisão escrupulosa, o ciclista, Florian Nowak ou Flo, começa a preparar-se. Cada detalhe é verificado na preparação da corrida que se aproxima, porque sem o conhecimento dos trabalhadores que aceleram através do parque de estacionamento nas suas e-bikes, Flo está prestes a embarcar numa corrida para definir o tempo mais rápido conhecido em todas as superfícies junto a Kronplatz.

thumbnail
O meu FKT: Florian Nowak

Um Fastest Known Time (tempo mais rápido conhecido) ou FKT, foi algo que surgiu e se tornou proeminente no ciclismo depois de o mundo ter sido interrompido pela Covid-19. Com competições canceladas, os ciclistas procuravam uma réstia de competição de forma diferente e para aqueles que podiam andar no exterior, o FKT oferecia algo único e o derradeiro tipo de corridas com distanciamento social, já bem conhecido de uma pequena e unida comunidade.

O meu FKT: Florian Nowak

Por coincidência, foi o facto de ter tido Covid-19 em 2022 que inspirou Florian Nowak, um ex-ciclista profissional de estrada alemão e ciclista da Shimano Gravel Alliance a mergulhar no mundo do FKT. "Este verão tive de cancelar os meus planos de competições quando apanhei Covid. Depois de passar perto de 6 semanas sem treinar devido à doença, estava decidido a definir um novo objetivo pessoal e surgiu a ideia do FKT." Originalmente como foco para ficar em forma fora da pressão da competição, Flo percebeu desde cedo que havia muito mais no FKT do que escolher e andar num percurso à escolha.

O meu FKT: Florian Nowak

07:30 em ponto e o apito do ciclocomputador da bicicleta de Flo indica que a corrida começou. Não há multidões a assistir, nem ninguém; apenas um ciclista solitário com a missão de se desafiar a si próprio e aos seus limites. Testar-se a si próprio contra o relógio. Estabelecer uma referência aleatória para ser perseguida por outros. Enquanto Flo encaixa o sapato no pedal, toda a preparação cai por terra. As horas de treino, as semanas de Covid, inúmeras noites à procura de localizações à medida que a obsessão se torna numa realidade porque o FKT vai acontecer e tudo se resume a ele percorrer esta volta incrível.

O meu FKT: Florian Nowak

As estatísticas memorizadas tornam-se pontos de passagem, locais para competir, subidas íngremes para enfrentar e descidas técnicas para rasgar. O pré-jogo permite que Flo quebre a sua volta, cada volta dos pedais aproximam-no do cume de Kronplatz e daquela descida tão esperada até ao final. Preocupações com suposições dissolvem-se na concentração do que acontece realmente, um momento zen onde o único foco é a corrida.

O meu FKT: Florian Nowak

No centro de cada FKT está a rota. Tem de ser algo que se destaque e que inspire as pessoas a ver o que conseguem fazer no tempo mais rápido conhecido. Quer sejam parcours icónicos ou algo focado numa localização incrível, é a sua singularidade que dá ao ciclista a satisfação de o fazer e o foco para se preparar antes do seu FKT. Flo continua: "Decidi fazer uma nova rota de FKT, em vez de fazer uma que alguém já tinha definido. Pareceu-me mais inspirador. Escondido do mundo por causa da Covid, o planeamento deu-me o prazer de estar no exterior. Foi por isso que escolhi a volta por Kronplatz no Tirol do Sul, já que não é muito longe de onde vivo no sudoeste alemão, mas longe o suficiente para me motivar. É também um lugar que conheço bem por lá ter esquiado e porque estava decidido a explorá-lo." O que Flo não refere é a ligação com o ciclismo profissional: o Giro d’Italia terminou por duas vezes no topo desta montanha de assinatura italiana.

O meu FKT: Florian Nowak

A Kronplatz é algo único no mundo das cimeiras dos Alpes. Uma cimeira baixa (comparativamente com outros picos), que foi transformado num parque infantil de duas estações para os amantes do ar livre. Esta cimeira é também conhecida pelos distintos estilos arquitetónicos Lumen Museum of Mountain Photography e do Messner Mountain Museum, parte da rota de Flo. As linhas são notoriamente diferentes das casas tradicionais que fizeram parte das linhas anteriores desta corrida. Há algo que se enquadra na forma como complementam o formato que segue a função das inúmeras estações de gôndolas que rodeiam a cimeira. Apesar de indiscutivelmente desenvolvida, existe uma harmonia e sinergia estética com os intermináveis cumes rochosos das montanhas que podem ser vistos daqui. Mas Flo não está aqui para explorar estilos arquitectónicos ou apreciar as vistas enquanto passa pela Kronplatz parecendo muito mais confortável do que estava na subida. A sua cara impenetrável à procura das suas raízes de elite, enquanto puxa rapidamente os seus manguitos, pronto para bombardear a descida e terminar a corrida.

Para os que são experientes no FKT, há um consenso de que a etapa de planeamento é o mais divertido, pois tal como diz Reese Ruland, a pessoa por trás do cyclingfkt.com, "cada detalhe pode ser visto, permitindo ao ciclista ser o marionetista por detrás do FKT, de modo a que se possa certificar que tudo corre a seu favor na sua tentativa." Para o estreante Flo, foi uma surpresa na qual ele embarcou desde a construção e depois: o seu FKT em Kronplatz

O meu FKT: Florian Nowak
O meu FKT: Florian Nowak

"Assim que o percurso foi planeado, o que demorou algum tempo, atravessei-o duas vezes para ter a certeza que era perfeito. Conhecendo não só todas as curvas, mas também os pontos chave nas íngremes colinas e descidas técnicas, permitiu-me não só afinar a configuração da minha bicicleta, mas também o plano nutricional, o vestuário e escala de tempo de treino", explica Flo.

2X Shimano GRX, com um único bidon e um gel foram as peças principais da volta de Flo, com ele a saber que apesar de ter de se desafiar um pouco nas secções a subir durante as duas voltas de reconhecimento, o equipamento e a configuração seriam perfeitos para o dia do FKT. Flo continua: "Em retrospetiva, devia ter-me concentrado um pouco mais nos pneus e na pressão dos mesmos. Quer dizer, quando competi como profissional, lembro-me do trabalho que dava definir a pressão dos pneus para as competições importantes. Com a descida técnica e também com as seções longas de gravel íngreme, senti que podia arriscar em pneus mais largos, com pressão mais baixa, porque não havia nenhum ponto no percurso em que fosse necessitar de recorrer à velocidade de estrada." E a abordagem mínima de decidir não levar câmaras de ar ou multiferramenta? Fácil: se correr mal, ele volta a tentar noutro dia.

O meu FKT: Florian Nowak

Enquanto os turistas reformados austríacos e alemães se apressam para apanhar a gôndola matinal até Kronplatz, Flo pedala para terminar o seu FKT. A abanar os braços, ligeiramente encrostados de transpiração e pó, o tempo de Flo ficou nos 2:49:06. Uma marca para os outros baterem, Flo sorri para ele próprio no reflexo do momento. Não há multidões a gritar, cerimónias de entrega de prémios ou caçadores de bidons. Só algumas pessoas no terraço de um bar a olhar para a localização de Flo, apreciando por momentos aquele ciclista de gravel solitário vestido de preto, enquanto bebem o seu café matinal

Ao conversar com Flo depois da corrida, tornou-se claro que os FKT lhe entraram no sangue. "Sabes, apesar de sair do âmbito da competição, ainda sou aquela pessoa que gosta de se desafiar e foi isso que gostei nesta corrida FKT. Saber que ia doer, do foco que era necessário não só nas subidas, mas nas descidas, ficou cá dentro. Não esperava nada disto quando comecei, mas há qualquer coisa especial e que me tem feito interessar por continuar a tentar os FKT. A competição dá-te momentos de reflexão sobre o resultado final, do qual tens de retirar uma aprendizagem e levar contigo em mente na próxima corrida. Mas com um FKT podes refletir e tentar de novo. Gosto muito dessa ideia de nunca acabar. Se um ciclista vem a Kronplatz e faz a minha rota 10 minutos mais rápido, isso vai inspirar-me a trabalhar mais e a percorrê-la mais rápido ainda. Apesar de tudo isto ser feito completamente sozinho, sinto que há uma enorme comunidade de FKT, que eu gostaria de cultivar mais. Adequa-se bem no meu espírito de fazermos a nossa própria história, onde consegues escolher como, onde e quando pedalas", explica Flo.

O meu FKT: Florian Nowak

E como o tempo dispendido reflete a forma como os treinos, a configuração e os detalhes do dia podem poupar tempo no desempenho de Flo na rota de Kronplatz, também lhe abriu um mundo de possibilidades do FKT. "Já dei por mim a olhar para outros FKT de outros ciclistas e também para aqueles que eu próprio poderia estabelecer como novos percursos. Em Garmisch-Partenkirchen, nos Alpes da bavária, há tanto potencial nas rotas, que já estou a pensar no meu próximo FKT. Adoro competir, mas acho que esses FKT serão uma grande parte dos meus planos para o próximo ano, por isso, atentem neste espaço", conclui

É o final perfeito para a história do FKT, ou mais precisamente, para esta parte da história do FKT de Flo. Porque, como disse Reese, eles agem como um sucesso do qual precisam de obter mais. "Isso é algo interessante sobre os FKT, quase como as crianças no parque infantil a desafiarem-se umas às outras a andarem mais rápido, mas de uma forma mais longa. E além do facto de que ninguém querer saber se conseguiste o melhor tempo ou não. Sim, obténs a gratificação de teres acabado o teu FKT, mas vai ser seguido por um período de agitação, porque o foco mudou. A única forma de sair dessa agitação é definindo um novo objetivo e encontrar um novo FKT em que te possas concentrar.

O meu FKT: Florian Nowak

Obrigado ao Conselho de turismo do Tirol do Sul pela ajuda com este FKT. Descubra este incrível local aqui: https://www.suedtirol.info/en/newsletter

Partilhar este artigo